A importância dos EPIs na cozinha industrial

Olá, tudo bem com você? No artigo de hoje vamos falar de um assunto bem específico: os EPIs para Cozinha Industrial. Você me acompanha? 🙂

Já ouvimos falar nos diversos riscos que a cozinha das nossas casas oferecem, não é mesmo? Temos sempre que estar atentos! Na cozinha industrial este cuidado deve ser dobrado. É necessário que os profissionais sejam devidamente treinados e estejam aptos para exercer as atividades da sua rotina diária em segurança.

Do contrário, podem ocorrer acidentes de trabalho ou doenças ocupacionais que poderiam muito bem ter sido evitados. Além de causar danos à saúde dos trabalhadores, situações como essas também colocam a empresa em sério risco judicial, sujeita a multas e processos civis.

Por este motivo, conhecer os EPIs para a Cozinha Industrial é tão importante. Tanto para proteger os trabalhadores da sua empresa, quanto para manter a companhia em dia com a legislação. Além de tudo isso, você estará colaborando com a qualidade de vida dos funcionários que gera ainda mais produtividade.

Portanto, para minimizar a exposição aos riscos é importante sempre estar atento, fazer o uso correto dos EPIs e certificar-se da qualidade dos equipamentos fornecidos. Se você deseja saber mais sobre os equipamentos para cozinha industrial, fique ligado neste artigo!

Riscos da Cozinha Industrial

São muitos os riscos que a Cozinha Industrial oferece em seus ambientes. Dessa forma, para que seja possível promover a alta produtividade da sua equipe, é necessário identificar esses riscos e as maneiras de eliminá-los ou atenuá-los.

Neste momento, toda atenção é necessária pois um simples deslize pode acarretar em um acidente ou em uma fatalidade. A verdade é que os agentes de risco irão variar de estabelecimento para estabelecimento, por isso que o primeiro passo deve ser sempre a elaboração do PPRA.

O PPRA é a sigla para Programa de Prevenção de Riscos Ambientais. Este programa tem como principal objetivo identificar quais os riscos presentes no ambiente que, no caso, é a cozinha industrial, e definir estratégias de Segurança do Trabalho.

No entanto, existem alguns riscos comuns a todas as cozinhas industriais e é isso que traremos nesta parte do artigo.

Choques Elétricos

O risco de choque elétrico está presente dentro das cozinhas industriais devido às máquinas e aparelhos movidos à eletricidade. Para evitar este tipo de risco, é importante orientar os funcionários de jamais manusear estes equipamentos com as mãos ou pés molhados.

Queimaduras

Podemos afirmar que as queimaduras configuram o principal risco dentro dos acidentes de trabalho em cozinhas industriais. Ou pelo menos, é o primeiro a ser lembrado. Seja pelo contato direto com o óleo quente, panelas ou fornos, este risco é iminente e pode trazer diversos danos à saúde dos trabalhadores.

Como não há como eliminar esta situação, é necessário controlá-la. Para isso, a dica é fornecer os EPIs para Cozinha Industrial (que veremos logo abaixo) e manter os funcionários sempre bem orientados e treinados quanto aos procedimentos.

Cortes e Perfurações

Por lidar muitas vezes com facas e objetos cortantes, outro grande risco da cozinha industrial são os cortes e as perfurações. Se chega a ocorrer algum acidente neste sentido, além de prejudicar o funcionário, você estará desperdiçando o alimento que ficará contaminado.

Por este motivo, os EPIs para Cozinha Industrial são a última saída para evitar ou diminuir esse tipo de acidente. Lembre-se que o fornecimento é obrigatório por parte do empregador, que deve orientar o trabalhador das melhores práticas de uso e conservação.

Quedas

Como geralmente o piso de cozinhas industriais é frio, por questões de limpeza e higiene, muitas vezes torna-se úmido e escorregadio. Dessa forma, fica propenso a causar muitos acidentes devido a escorregões e quedas, que podem causar fraturas ou até mesmo situações piores.

Para evitar essas situações é importante observar a necessidade de implantar pisos antiderrapantes e manter o ambiente sempre higienizado. Muitas vezes o respingo de óleo ou algum alimento no chão também pode causar o desconforto ao transitar.

Esses são apenas alguns dos riscos mais comuns na cozinha industrial. Lembramos, novamente, que a identificação dos mesmos deverá partir do PPRA. Mas além das dicas que mencionamos, como podemos proporcionar ainda mais segurança para os trabalhadores da área?

É o que veremos abaixo!

Como melhorar a segurança na Cozinha Industrial?

xistem algumas dicas básicas que servem para todo tipo de cozinha industrial, para atenuar os riscos e proporcionar um ambiente mais seguro aos colaboradores. Veja abaixo quais são elas:

Mantenha o ambiente organizado

É fundamental que a cozinha industrial possua um ambiente organizado e que propicie o trânsito dos trabalhadores sem perigo de esbarrar em panelas ou tropeçar em objetos jogados no chão. Esse simples ato pode promover a produtividade e diminuir os índices de acidentes do trabalho no local.

Atente-se também aos locais onde serão armazenados os equipamentos, máquinas e alimentos, para que não haja contaminação e estejam sempre ao alcance quando necessário. Se preciso contrate um profissional especializado para planejar o ambiente da cozinha industrial para garantir que irá respeitar as exigências legais.

Ferramentas em boas condições de uso

Fique atento à qualidade do material e das ferramentas que serão utilizadas pelos trabalhadores. Um maquinário com defeito ou objetos cortantes sem fio podem prejudicar o trabalho, atrasar processos e gerar acidentes de trabalho.

Observe se os objetos estão em boas condições de uso, se estão afiados e devidamente funcionando para que o trabalho seja realizado adequadamente.

Proporcione um ambiente confortável

É fundamental que o ambiente possua um sistema de ventilação adequado, com boa circulação de ar, para que não fique muito abafado e sejam dissipados os cheios, fumaças e vapores. Esse tipo de condição favorece a produtividade, uma vez que ofereça uma condição de maior conforto para os trabalhadores.

Realize treinamentos periódicos

Realizar treinamentos periódicos é a melhor maneira de promover a segurança do trabalho. Isso porque só assim você terá a certeza de que todos estão, no mínimo, atualizados e bem informados quanto às boas práticas para o trabalho seguro.

Oriente a todos sobre a guarda, utilização e conservação dos EPIs para cozinha industrial; sobre como utilizar uma determinada máquina ou equipamento… O que fazer em situações de risco, emergência incêndios… Lembre-se que a informação é tão importante quanto a prevenção, e por isso, tudo deve começar por ela!

Forneça os EPIs necessários

Depois de identificados os riscos do ambiente, de acordo com o PPRA, é hora de fornecer os EPIs necessários. Além de simplesmente entregar o equipamento para o usuário, oriente-o sobre como utilizar, o que fazer para conservar, entre outros.

O fornecimento do EPI é obrigatório, assim como cobrar sua utilização por parte do trabalhador! Abaixo vamos ver quais são os principais EPIs para a Cozinha Industrial.

EPIs na Cozinha Industrial

Para garantir a segurança e a saúde dos funcionários na realização de suas atividades profissionais é obrigatório fazer a utilização dos seguintes EPIs na cozinha industrial:

Um fator determinante para a proteção das mãos e dos braços é o uso da luva de proteção que pode ser encontrada em diversos modelos e devem estar disponíveis a todos os funcionários no ambiente de trabalho.

Caso o trabalhador realize a sua função em temperaturas elevadas, a luva térmica é ideal para resistir à temperaturas de até 250ºC. A utilização correta e adequada dos EPIs é o que irá assegurar a saúde e segurança de todos os trabalhadores.

Por isso, é tão importante conscientizar e se informar sobre os riscos de acidentes do seu dia a dia.

O que a ANVISA fiscaliza na cozinha industrial

Além de proporcionar um ambiente de trabalho seguro e colaborar para a segurança dos profissionais, fornecer os EPIs para cozinha industrial é fundamental em casos de fiscalização.

Isso porque quando ocorre de um fiscal da Vigilância Sanitária ir ao estabelecimento realizar uma fiscalização, ele irá verificar se as exigências da ANVISA estão sendo cumpridas. O intuito dessa atividade não é intimidar os empreendedores mas, sim, verificar se todos estão agindo pela Segurança do Trabalho.

De maneira geral, é correto afirmar que dentre os itens fiscalizados pela ANVISA, estão:

  • A higiene da Cozinha Industrial como um todo, incluindo dispensa, estoque, freezers, geladeiras, entre outros;
  • A higiene dos funcionários que manipulam os alimentos;
  • Manejo de resíduos orgânicos;
  • Controle integrado de vetores e pragas;
  • Presença de um Responsável Técnico;
  • Implantação das Boas Práticas de Manipulação de Alimentos;
  • Presença do Manual de Boas Práticas e POPs;
  • Treinamento de equipe;
  • Documentação do estabelecimento.

Normas Técnicas para Cozinha Industrial

Claro que as diretrizes da ANVISA para Cozinha Industrial não terminam por aí. Abaixo elencamos para você outras condições determinadas pela instituição para serem postas em prática nestes locais:

  • As instalações, os equipamentos, os móveis e os utensílios devem ser mantidos em condições higiênico sanitárias apropriadas;
  • Substâncias odorizantes e ou desodorantes não devem ser utilizadas nas áreas de preparação e armazenamento dos alimentos;
  • Os produtos saneantes utilizados na cozinha industrial devem estar regularizados pelo Ministério da Saúde (nada de produto do caminhão de limpeza!);
  • Os uniformes dos funcionários responsáveis pela atividade de higienização das instalações sanitárias devem ser diferentes daqueles utilizados na manipulação de alimentos;
  • Deve existir um conjunto de ações eficazes e contínuas de controle de vetores e pragas urbanas;
  • Deve ser utilizada somente água potável para manipulação de alimentos, tanto para gelos ou cozimento no vapor;
  • O reservatório de água deve ser higienizado, em um intervalo máximo de seis meses, devendo ser mantidos registros da operação;
  • Os resíduos devem ser freqüentemente coletados e estocados em local fechado e isolado da área de preparação e armazenamento dos alimentos;
  • Os manipuladores devem usar cabelos presos e protegidos por redes ou toucas;
  • Não é permitido o uso de barba;
  • As unhas devem estar curtas e sem esmalte ou base;
  • Durante a manipulação, devem ser retirados todos os objetos de adorno pessoal e a maquiagem;
  • Os manipuladores que apresentarem lesões e ou sintomas de enfermidades que possam comprometer a qualidade higiênico-sanitária dos alimentos devem ser afastados da atividade de preparação de alimentos enquanto persistirem essas condições de saúde;
  • As matérias-primas, os ingredientes e as embalagens devem ser armazenados em local limpo e organizado, de forma a garantir proteção contra contaminantes;
  • O tratamento térmico deve garantir que todas as partes do alimento atinjam a temperatura de, no mínimo, 70ºC;
  • Os óleos e gorduras utilizados devem ser aquecidos a temperaturas não superiores a 180ºC;
  • O descongelamento deve ser efetuado em condições de refrigeração à temperatura inferior a 5ºC ou em forno de microondas quando o alimento for submetido imediatamente à cocção;
  • Os serviços de alimentação devem dispor de Manual de Boas Práticas e de Procedimentos Operacionais Padronizados.

Deixe uma resposta